© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

TESTEMUNHOS DA IGREJA PERSEGUIDA

Bounchan

"Um Contrabandista Improvável - Trás-me uma Bíblia, eu não posso viver sem Ela."

Antes de chegar a Cristo, Bounchan Kanthavong era um distinto assistente do governador para os comunistas no Laos. Depois dele tornar-se cristão, não podia parar de compartilhar o evangelho. Ele sabia pouco sobre a sua nova fé, mas sabia como levar as pessoas para Deus.


As Autoridades alertaram várias vezes a Bounchan, antes de finalmente prendê-lo em 1999 e sentenciá-lo a 15 anos de prisão. "Colocaram-me em troncos", lembrou Bounchan. "Os troncos separavam as minhas pernas, eu permanecia algemado pois eles tinham medo que eu pudesse fugir, ao ponto de colocarem algemas até nos meus polegares. Depois, colocaram-me num quarto escuro e sem comida por sete dias."


Quando as autoridades ofereceram alimentos e bebidas a Bounchan, ele recusou-se a aceitá-los, com medo que estivessem envenenados. "Eu tive que ter cuidado, porque sabia que a minha vida era valiosa para Deus e para o ministério", explicou Bounchan. Só sobreviveu porque um dos guardas trouxe secretamente um pouco de arroz.


Ele foi preso numa cela, sozinho, durante um ano, sem uma Bíblia. A sua cela era de pedra e cimento, tinha uma grande porta de metal com apenas um pequeno furo enferrujado por onde entrava a ventilação. "Gostava de levantar-me e de colocar o meu nariz no buraco e respirar", disse Bounchan. Ele pediu ao guarda que trazia-lhe a comida para enviar uma mensagem à sua esposa. "Diga-lhe: Tu poderias ajudar-me? Traz-me uma Bíblia, eu não posso viver sem ela."


    Depois de um ano em confinamento solitário, Bounchan foi colocado para trabalhar a carregar lenha e nos campos de arroz. Quando cansava-se, os guardas colocavam uma arma apontada para as suas costas e diziam zombeteiramente, "Clama ao Senhor para vir ajudar-te. Clama ao Senhor para dar-te forças." Ele trabalhou durante 10 anos dos 13 de prisão a carregar lenha.

As vezes, os guardas confiavam em Bounchan para deixá-lo recolher lenha sozinho.

 

Em julho ou agosto de 2007, eles permitiram-lhe duas ou três horas para apanhar a lenha, porque um rio próximo dali estava inundando.

"Eu sabia qual era a rotina", disse ele. "No primeiro dia, carreguei lenha suficiente para dois dias. No segundo dia, nadei contra a correnteza, corri para a minha casa, trouxe cinco Bíblias e voltei. Eu escondi as Bíblias e em seguida, carreguei a lenha de volta ao acampamento."


Um dia, os guardas descobriram uma Bíblia na bolsa de Bounchan, levaram-no para o escritório e obrigaram-lhe a lê-la em voz alta para um grupo de guardas. "Depois que eu li por um tempo, parei e disse: 'Eu não posso acabar tudo num só dia, mas se quiserem saber mais, eu vou dizer-vos", disse Bounchan. Os guardas começaram a tratá-lo com mais respeito, mas uma semana depois, todos eles foram substituídos.

Apesar de não ter de volta a sua Bíblia, Bounchan manteve outra enterrada no quarto onde dormia. Ele também contrabandeou pequenos rádios embrulhados em grandes folhas, quando trazia de volta a lenha. "Eu lia a minha Bíblia todos os dias ", disse ele. "Eu também ouvia um programa cristão na rádio."    


A Bíblia e o rádio ajudou-o a crescer na fé. Um dia, os guardas descobriram a sua Bíblia e o seu rádio e confiscaram-os, mas Bounchan, simplesmente, contrabandeou mais para a sua cela. Durante os seus 13 anos na prisão, Bounchan teve seis Bíblias. Os seus anos mais difíceis foram aqueles em que ele não tinha nenhuma.


Em janeiro de 2012, o chefe da prisão disse-lhe: "A sua família é tão forte na sua fé que o Cristianismo espalhou-se por toda a parte. É por isso que tu permaneces aqui. Nós não vamos deixar que tu vás para fora porque a tua família ainda espalha o Evangelho. Se tu queres ser livre e voltar para a tua casa, junta-te a nós [comunistas]. Não vivas mais como tu tens vivido; para de acreditar na tua fé ou tu vais continuar pobre."


Bounchan respondeu: "Se tu parares de adorar o ídolo de cimento, se tu parares de adorar o ídolo de ouro ou bronze, então eu vou parar de adorar o meu Deus. Tu não vais parar. Por que tu forças-me a fazê-lo?’’


Bounchan foi solto um mês depois, em 2 de fevereiro de 2012, dois anos antes da sua sentença ser completada. Antes de Bounchan partir, o chefe da prisão alertou para não compartilhar a sua fé ou se comunicar com os outros cristãos.


Este homem de 64 anos, agora está de volta para a sua família. "Mesmo na prisão, eu sabia que Deus estava comigo e que aquilo que Ele fez por mim na cruz , é maior do que o que eu passei na prisão". Disse Bounchan. 


Bounchan tem esta mensagem para os cristãos no Ocidente: "Obrigado aos meus irmãos e irmãs pelas suas orações fiéis. Eu sei que ainda estou vivo hoje por causa delas. Agora, estou a compartilhar o meu testemunho por causa da sua oração.  


"Por favor, orem pelo meu país, Laos. Ore para que todos aceitem Jesus Cristo, porque eu sei que nada é digno na vida, excepto se tornar um cristão e seguir a Jesus Cristo.

"Eu sei o quão difícil é a vida, mas eu quero encorajar os crentes no Ocidente para que sejam fortes na fé. Eu sei que muitos aí no seu país não aceitaram Jesus Cristo ainda, mas você tem a liberdade de anunciar Jesus e compartilhar o evangelho. Vá evangelizar em nome de Jesus, porque você pode. Você tem o direito de ler a Bíblia, orar e ir à igreja.
Por favor, façam isso."