Cristãos convertidos no Irão acusados ao abrigo de nova legislação

Cristãos convertidos no Irão acusados ao abrigo de nova legislação

Compartilhar

Os cristãos iranianos pedem oração pelos cristãos covertidos Amin Khaki, Milad Goodarzi e Alireza Nourmohammadi que foram acusados de “propaganda de educação desviante, ao contrário da santa religião do Islão”.

Em 5 de maio, foram emitidas intimações a Amin, Milad e Alireza, acusando-os nos termos do artigo 500.º, recentemente alterados com disposições que incluem pesadas penas (dois a cinco anos de prisão) para quem cometer “qualquer atividade educativa ou proselitista desviante que contradiga ou interfira com a lei sagrada do Islão”.

Amin, Milad e Alireza foram libertados sob fiança de 250 milhões de tomans  (cerca de 1.500€) e disseram-lhes que deviam apresentar-se semanalmente ao ramo de inteligência da polícia iraniana durante os próximos seis meses. Outros cristãos cujas casas tinham sido invadidas em novembro também foram ameaçados de prisão e outras possíveis punições, como restrições ao emprego.

No ataque de novembro de 2020 às casas de convertidos em Fardis (perto de Karaj), agentes dos serviços secretos confiscaram Bíblias, telemóveis e computadores. Ninguém foi preso.

O assédio continuou em janeiro e fevereiro, quando os cristãos foram ameaçados com longas penas de prisão e disseram que seria melhor se fugissem do país. Solicitados a assumir compromissos que se abstenham de atividades cristãs, todos se recusaram a cumprir.

Quando as disposições relativas aos artigos 499.º e 500.º foram propostas pela primeira vez em 2020, temia-se que a legislação pudesse ser utilizada para restringir ainda mais as liberdades das minorias religiosas e criminalizar as suas atividades, incluindo as que estão online.

O artigo 19.º, uma organização que promove a liberdade de expressão e a liberdade de informação, advertiu “que, embora as novas disposições imponham uma ameaça a quem se recuse a subscrever crenças e ideologias sancionadas pelo Estado, terão um impacto desproporcionada em indivíduos pertencentes a minorias religiosas e baseadas na fé e grupos étnicos”.

A legislação foi aprovada pelo Parlamento em 13 de janeiro, aprovada pelo Conselho do Guardião em 3 de fevereiro e assinada pelo Presidente Rouhani em 18 de fevereiro para vigorar a partir de 5 de março de 2021.

Motivos de Oração:

  • Por favor, peça ao Senhor para fortalecer e preparar os nossos irmãos enquanto esperam o desfecho dessa situação. Peça ao Senhor que lhe dê paz.
  • Ora para que as autoridades tratem os prisioneiros cristãos com misericórdia e compaixão.
  • Louve a Deus pelo Seu trabalho na construção da Sua Igreja no Irão. Ora para que o Senhor esteja a equipar os crentes e a fortalecer a sua fé, para o seguir numa nação que se opõe severamente à mensagem do Evangelho.

Fonte: Middle East Concern