Crianças de

CORAGEM

e

Danjuma

"Uma sepultura vazia"

Os aldeões tinham cavado uma cova para o descanso final do menino de 13 anos, depois dele ter sido gravemente ferido num ataque à sua aldeia a 28 de janeiro.


Quando eles viram o seu corpo mutilado e sem vida, coberto de sangue ficaram a espera da sua morte.


Mas Deus tinha outro plano...

Três meses depois do ataque, o rosto de Danjuma está marcado por cicatrizes horríveis e mesmo sem o seu olho direito, continua com um sorriso radiante.

 
As memórias de Danjuma sobre o ataque começam com os tiros que ouviu por volta das 6 horas da manhã de quarta-feira. Ele lembra-se de ter corrido para salvar a sua vida, mas acabou por ser confrontado com mais de 1.000 insurgentes islâmicos que atacaram a sua aldeia cristã, queimaram casas e mataram todos os moradores que não conseguiram fugir. 
Embora Danjuma não consiga se lembrar de tudo sobre o ataque, uma coisa nunca irá se esquecer, a dor causada por um corte de facão do lado esquerdo da sua cabeça.
 “Agora eu me encontro nesta situação” disse ele: "Não consigo me lembrar como a história continuou.”

Pela graça de Deus ele não se lembra do resto da história. 

Brutalidade Aterrorizante

Danjuma não consegue se lembrar quando os agressores cortaram com um facão o seu braço esquerdo, nem quando lhe arrancaram fora o olho direito. E também não se lembra quando lhe cortaram os órgãos genitais.


Danjuma está entre os milhares de nigerianos que foram brutalmente atacados em motins violentos, bombardeios e ataques nas aldeias cristãs desde 1999, quando os islamitas começaram a sua campanha para estabelecer a lei e um território islâmico no norte. A insurgência intensificou em 2009 com a ascensão do grupo extremista Boko Haram.


De acordo com o grupo de pesquisa do Projeto Joshua, os cristãos constituem cerca de 51 por cento dos 177 milhões de pessoas da Nigéria. Mais de 43 por cento da população é muçulmana, enquanto outros praticam uma das várias religiões étnicas.
Apesar do que ele sofreu, Danjuma está certo de que Deus ainda está no controle. Ele não tem ódio dos seus agressores. “Não há problema", disse ele. "Eu entreguei tudo nas mãos de Deus, Ele tem o controlo.”

 

Danjuma não só perdoa os seus agressores, mas quase sente compaixão pela condição dos seus corações. "Eu perdoou-lhes porque não sabem o que estão a fazer", disse ele, ecoando as palavras de Cristo. "Se eles tivessem amor, não se comportariam dessa forma."


Após o ataque, que deixou 23 moradores mortos e 38 feridos, os sobreviventes começaram a cavar covas para os mortos. Os aldeões tinham passado, visto o corpo de Danjuma e assumido que ele estava morto, mas depois ouviram-no a chorar e a gritar. De alguma forma ele havia recuperado a consciência. Transportaram-no junto com os outros que tinham ferimentos graves para a cidade mais próxima a cerca de 24 kms de distância.
"Eles não acreditavam que o menino voltaria vivo depois de tudo o que sofreu", disse Hadila Adamu, uma administradora do Hospital onde Danjuma foi tratado. “Ele perdeu muito sangue. Isto é um milagre. É por isso que ele se chama 'Milagre'.”

A Alegria Desafiadora
Antes do ataque, Danjuma era um típico menino nigeriano. Morava com a sua mãe que era viúva e gostava de brincar com os seus amigos. Ele fazia muitas viagens para pescar com os pescadores da sua aldeia. Foi depois de uma dessas viagens que o ataque ocorreu.


Mesmo os agressores tendo roubando tanto de Danjuma, não conseguiram roubar-lhe a sua alegria. Esta alegria ainda é evidente no seu rosto e na sua voz. "A alegria vem do Senhor", disse ele.

Danjuma disse que o seu relacionamento com Deus tornou-se mais forte desde o ataque. Ele continua a orar regularmente e a buscar a orientação de Deus. "Deus continua a guiar-me e a proteger-me", disse ele.


A vida de Danjuma é muito diferente agora. Um cateter estende-se desde o seu abdômen inferior a drenar a urina dentro de uma bolsa que deve carregar consigo quando anda. Ele é totalmente dependente de Deus, da sua mãe e do cuidado dos outros ao seu redor.


A VdM está a ajudá-lo, para garantir que a vida de Danjuma possa ser a mais completa possível, ajudando-o com as despesas médicas e ajudando a sua mãe com os seus cuidados. Danjuma pede para que você ore por ele, para que a sua fé continue a crescer. “Se eles ouvem a minha história, devem orar por mim - pelo meu coração - e para que eu tenha forças para servir ao Senhor", disse ele.


Danjuma espera que todas as crianças que lêem a sua história possam lembrar que Cristo pode ajudá-las a ultrapassar qualquer problema. "Se eles encontrarem-se em tal situação, devem abraçar a Deus", disse ele ainda sorrindo. "Devem crer que o Deus que nos criou sabe tudo sobre a nossa vida, portanto, vamos continuar fiéis e bondosos. Apesar da maneira em que me encontro hoje... Deus sabe todas as coisas, então você deve abraçar a Deus e aceitar a Jesus Cristo como o seu Senhor e Salvador pessoal. "

UMA GRANDE FAMÍLIA

A Missão A Voz dos Mártires está empenhada em servir os mais jovens membros da nossa Família Perseguida pelo tempo que for necessário, até que eles tenham os meios suficientes para continuarem as suas vidas.


Nós convidamos você a considerar apoiar este Projecto com uma doação mensal, que permitirá à Voz dos Mártires responder às necessidades imediatas das crianças que são perseguidas por causa da sua fé em Cristo.