• A Voz dos Mártires - Portugal

Muçulmanos perseguidos por Budistas na Birmânia


Uma multidão budista incendiou na sexta-feira uma mesquita na Birmânia, no mesmo dia em que a relatora especial da ONU para o país, Yanghee Lee, pediu ao governo para acabar com a violência sectária, informam hoje os media.



Uma testemunha do incidente, ocorrido na localidade de Hpakant, no estado de Kachin, no norte, declarou ao jornal Irrawaddy que "nacionalistas budistas" exigiram a demolição do centro religioso que, segundo eles, tinha sido construído ilegalmente.



A comunidade muçulmana alegou que apenas o faria mediante uma ordem oficial das autoridades, o que se revelou insuficiente para travar as centenas de pessoas, na sua maioria de outras localidades, que se muniram de facas e paus.

Os bombeiros tentaram apagar o incêndio, mas a multidão impediu-os, segundo disse a mesma fonte ao jornal birmanês.


No mesmo dia, em Rangum, a 962 quilómetros de Hpakant, a relatora especial da ONU para a Birmânia terminava uma visita de 12 dias ao país com um apelo ao governo, o primeiro democrático em mais de meio século, para que colocasse termo à discriminação contra a minoria muçulmana.

"O governo deve demonstrar que no Myanmar [antiga Birmânia] não há lugar para quem instiga e comete atos violentos contra as minorias étnicas e religiosas", disse em conferência de imprensa, em Rangum, a professora sul-coreana especialista em direitos humanos.


A violência sectária na Birmânia instalou-se em 2012 após a violação e assassínio de uma mulher budista por três muçulmanos. Desde então, dezenas de pessoas foram mortas e aproximadamente 140 mil muçulmanos permanecem em acampamentos de deslocados no oeste do país, em condições precárias.

São na sua maioria da minoria 'rohingya', minoria apátrida considerada uma das mais perseguidas do planeta pela ONU.


Fonte: Notícias ao Minuto


Motivos de Oração:

  • Ore pela Birmânia, para que o amor de Cristo prevaleça sobre o ódio e a violência religiosa no país.

  • Ore para que a "guerra religiosa" acabe.

  • Ore também pelos cristãos na Birmânia que são minoria e que muitas vezes estão entre os mais pobres do país.



Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.