• A voz do Mártires - Portugal

Mãe e filhos de cristão são queimados até a morte por radicais muçulmanos, em Uganda


Nakabale, um cristão de 36 anos está de luto pela morte de 4 membros da sua família, o filho, a filha, a mãe e o padrasto, que foram mortos quando extremistas muçulmanos atearam fogo na sua casa sete semanas atrás, informa o Morning Star News.


Antes dos muçulmanos radicais atear fogo à casa de Ali Nakabale no dia 20 de agosto, em Nakaseke, que fica a cerca de 50 quilómetros de Kampala, Uganda, a sua esposa e os outros muçulmanos da área ficaram furiosos por ele e pela sua mãe se terem convertido do islamismo ao cristianismo.


Nakabale e a sua mãe Nankya Hamidah, de 56 anos, entregaram as suas vidas a Jesus em um evento evangelístico ao ar livre em agosto de 2018.


"Acabei de visitar a minha tia apenas para receber a triste notícia de que a nossa casa foi queimada", disse Nakabale, perturbado, ao Morning Star News por telefone.


“Ao chegar em casa, encontrei-a destruída pelo fogo que queimou quatro membros da minha família, incluindo os meus dois filhos. Ao chegar ao necrotério, encontrei os seus corpos queimados de difícil reconhecimento”, declarou o homem.


Um vizinho disse ao Morning Star News que ele e os outros vizinhos tomaram conhecimento do incêndio à 1 da manhã. "Vimos o fogo a sair da casa de Hamidah com altos gritos dos muçulmanos a dizer: 'Alá Akbar [Deus é grande]'", disse o vizinho sob condição de anonimato. "Ao chegar ao local do incidente, descobrimos que a casa havia sido destruída, matando os quatro membros da família."


Nakabale disse que o líder da mesquita na área de Kyanja, em Nakaseke, havia escrito uma carta para o seu padrasto, Masembe a dizer: "Chegou ao nosso conhecimento que desde que te casastes com Hamidah, não voltastes mais à mesquita."


"Nesse momento, percebi que os muçulmanos estavam a vigiar os nossos movimentos", disse Nakabale ao Morning Star News.


Nakabale escondeu a sua fé dos seus familiares até maio, quando ele levou o seu filho para participar de um culto a noite. No dia seguinte, o filho, Njabuga, contou a experiência à mãe, Sandra Nakamada de 32 anos. Ela ficou furiosa e começou a bater-lhe, disse Nakabale.


"Quando a minha esposa começou a espancar o meu filho e a condená-lo por ter ido à igreja, eu percebi que a (minha fé tinha sido descoberta)", disse Nakabale. “No mesmo dia, a minha esposa deixou-me e saiu de casa. Ficamos assustados porque sabíamos que as nossas vidas estavam em perigo. Durante três meses, nenhum muçulmano visitou a nossa casa.”


Ele contou que, durante esse período a sua mãe Hamidah cuidava dos seus dois filhos.


Nakabale, a sua mãe, e o seu padrasto, frequentavam secretamente o culto noturno de uma igreja não revelada desde dezembro, sem a esposa nem os filhos.


Ele disse que em abril o seu padrasto construiu um matadouro de carne de porco perto da sua propriedade, o que fez com que os muçulmanos da zona questionasse a sua suposta fé islâmica - pois a carne de porco é proibida no Islão.


"Em 15 de abril os muçulmanos destruíram o nosso matadouro, após o incitamento do irmão do xeique Jamada, alegando que Masembe estava a praticar atos proibidos", disse Nakabale.


Nakabale relatou a morte dos quatro membros da sua família à polícia, que entrou com um processo e está a investigar. Deprimido e em luto, ele teme pela própria vida e vive num local não revelado, disse uma fonte.


"Nakabale está deprimido e está a questionar a Deus sobre a morte brutal dos seus dois filhos pequenos", disse outra fonte cujo nome não foi revelado por razões de segurança. "Ele precisa de aconselhamento e orações neste momento difícil."


Também no centro de Uganda, em julho, uma viúva foi forçada a fugir de casa depois de receber ameaças, quando muçulmanos da área descobriram que ela era cristã.


A constituição da Uganda e outras leis prevêem a liberdade religiosa, incluindo o direito de propagar a fé de e de converter-se de uma fé para outra.


Os muçulmanos representam não mais que 12% da população da Uganda, com altas concentrações nas áreas orientais do país.


Motivos de Oração:

  • Ore por Nakabale, para que Deus conforte o seu coração e o console neste momento de dor e perda.

  • Ore para que a sua fé seja renovada pela esperança da eternidade, que Cristo nos prometeu.

  • Ore para que os cristãos da Uganda se unam e sejam fortalecidos em Deus, e para que o governo tenha políticas de proteção contra a perseguição cristã no país.


Fonte: Morning Star News


Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.