• A Voz dos Mártires

Boas notícias para os cristãos perseguidos do Sudão - Abolida a Lei da Apostasia

A

abolição da controversa Lei da Apostasia do Sudão foi bem recebida pela Voz dos Mártires, que serve os cristãos perseguidos em todo o mundo.


O Sudão aboliu a lei que pune os muçulmanos que mudam de religião, devido à pressão de grupos de direitos humanitários. Há muito que a Voz dos Mártires Internacional pede por liberdade religiosa no Sudão, hoje vemos passos nessa direção.


As novas leis aprovadas em abril entraram em vigor na semana passada. Elas revogam as leis que violam diretamente a constituição sudanesa, que permite a liberdade de religião e de culto.


O ministro da Justiça Nasr al-Din Abdel-Bari declarou: 'Vamos abandonar todas as leis que violam os direitos humanos no Sudão'.


"São excelentes notícias e uma mudança significativa em direção à liberdade religiosa num país onde os cristãos são perseguidos rotineiramente", diz Paul Robinson, CEO da Voz dos Mártires do Reino Unido 'Friends of Release descreve isso como um "milagre".


Liberdade

No ano passado, os protestos de rua no Sudão derrubaram a ditadura de Omar al-Bashir, após 30 anos no poder. "Quando o regime foi derrubado, vimos uma janela oportunidade - um momento de mudança", diz Paul Robinson. "A Voz dos Mártires pedia a restauração da liberdade religiosa total no Sudão."


Os cristãos no Sudão sofrem imensamente há décadas. As suas igrejas foram demolidas, líderes presos e propriedades apreendidas. Durante anos, permaneceu ilegal a conversão ao cristianismo, e os estudantes foram presos por discutirem as crenças religiosas.


Sob o antigo governo islâmico, os muçulmanos que se convertiam ao cristianismo podiam enfrentar a pena de morte.


Em 2014, o Sudão condenou Meriam Yahia Ibrahim Ishag à morte por se casar com um homem cristão.


Meriam nasceu de pai muçulmano, mas foi criada na fé cristã da sua mãe e ela disse que foi cristã a vida toda. Mas porque o pai era muçulmano, alegou-se que ela havia cometido apostasia do Islão.


'Adultério'

Sob a lei islâmica, são proibidos casamentos entre mulheres muçulmanas e homens não muçulmanos. Meriam foi presa depois de um dos seus parentes alegar que ela havia cometido adultério ao se casar com um cristão.


Um tribunal ordenou que Meriam abandonasse sua fé cristã, mas ela recusou. Ela deu à luz a um filho na prisão e acabou por ser libertada. Meriam por fim, conseguiu escapar do Sudão num avião do governo italiano.


O regime também prendeu um líder da Voz dos Mártires, Petr Jasek, por tentar reunir evidências sobre a destruição da igreja e a perseguição cristã no país. Ele foi acusado de espionagem e colocado numa cela com membros do ISIS.

Petr Jasek esteve em várias igrejas de Portugal a compartilhar as experiências que teve com Deus durante os 14 meses que esteve preso.


As estritas Leis islâmicas estão em vigor desde os anos 80. As práticas islâmicas que foram revogadas incluem açoites públicos.


“A oposição é esperada e existe o risco de uma reação dos radicais muçulmanos." disse Paul Robinson.


Os parceiros da Voz dos Mártires no Sudão estão a fornecer Packs de alimentos, água, assistência médica e Bíblias nas montanhas de Nuba.


Um grande número de pessoas na região foram mortas ou tiveram que abandonar as suas casas por causa da guerra travada pelo antigo governo de Cartum. Aviões do governo lançaram bombas sobre os parceiros da Voz dos Mártires que tentavam fornecer assistência médica.


Através da sua rede internacional de missões, a Voz dos Mártires atua em cerca de 25 países ao redor do mundo, apoiando pastores, prisioneiros cristãos e as suas famílias; fornecendo literaturas cristã, Bíblias e trabalhando pela justiça.


Envolva-se no trabalho de apoio aos cristãos perseguidos, Ore, Divulgue e Contribua. É através do seu donativo que a Voz dos Mártires mantém todos os projetos de suporte aos nossos irmãos perseguidos ativos.


© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade