© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

  • A Voz dos Mártires

Em meio a pandemia cristãos são agredidos na Índia


Depois de fechar-se gradualmente do resto do mundo nas últimas semanas, a Índia está a colocar barreiras entre os seus diferentes Estados para impedir que o vírus se espalhe.


Com 433 casos confirmados do novo coronavírus desde o início da epidemia, que já causou a morte de sete pessoas, a Índia continua a ser um país onde os cristãos são perseguidos.


Babu Phinegas e a sua esposa Esther foram atacados por nacionalistas hindus enquanto distribuíam panfletos no distrito de Vellore no início deste mês, de acordo com a organização de solidariedade religiosa Christian Solidarity Worldwide (CSW).

Os membros do Rasthriya Swayamsevak Sangh (Hindu Munani) e Hindu Munani convocaram 50 membros do grupo para agredir e humilhar o casal diante dos moradores locais na aldeia de Pakkam.

O casal foi acusado de tentar destruir a religião hindu ao tentar converter pessoas ao cristianismo.

Os moradores locais ameaçaram Esther depois que ela recusou-se a receber cinzas sagradas e pó vermelho na testa - uma prática religiosa hindu.

O pastor C. J. Zeba, coordenador da Rede Cristã de Tamil Nadu, disse à CSW que a polícia havia repetidamente falhado em registar o incidente - o que é necessário para uma investigação, apesar de ele ter apresentado uma queixa.

O pastor Zeba disse: "Os cristãos tornaram-se muito vulneráveis ​​a ataques, abusos e intimidações. O espaço para praticar e falar sobre a sua fé ficou tão reduzido, particularmente agora com uma crescente cultura de intolerância perpetrada pelos hindus Munani e pelo RSS”.

"Nada está a ser feito visivelmente para proteger os direitos das minorias religiosas, incluindo os cristãos que estão neste país há tantas gerações", disse o pastor.

A CSW pediu à polícia local do estado para investigar o incidente.


Aumento do nacionalismo

Em declarações à Premier, Kiri Khankwende, da CSW, disse que "nos termos da constituição indiana, os cristãos são legalmente livres para compartilhar a sua fé", mas explicou que a Índia viu um "aumento do sentimento nacionalista hindu" nos últimos anos, o que levou muitos cristãos e minorias religiosas a serem perseguidos.

Um estudo de 2019 da Comissão de Liberdade Religiosa da Irmandade Evangélica da Índia, houve 60 casos relatados de ódio e violência no estado de Tamil Nadu no ano passado.

O presidente-executivo da CSW, Mervyn Thomas, disse: "A CSW está profundamente preocupada com a terrível experiência que Babu Phinegas e a sua esposa Esther sofreram, apenas pela distribuição de folhetos cristãos.

"Como cidadãos da Índia, é direito constitucional deles compartilharem a sua fé e devem ser livres para fazê-lo sem nenhum risco ou dano”, declarou.

"Instamos a polícia local a agir rapidamente e registar o caso para que o assunto possa receber a devida atenção legal. Também pedimos à polícia que responsabilize os autores pelas suas ações", afirmou Thomas.


Motivos de Oração:
  • Ore por Babu Phinegas e a sua esposa Esther, para que Deus renove as suas forças e eles continuem firmes em Cristo.

  • Ore para que os cristãos na Índia continuem a testemunhar do poder de Deus através da pregação do evangelho.

  • Ore para que o governo da Índia aplique a lei constitucional do país e proteja as minorias religiosas.


Fonte: VDM, Christian Solidarity Worldwide, Guia-me

Foto CSW: Babu Phinegas e a sua esposa Esther.