• A Voz dos Mártires

Tribunal do Paquistão ordena que menina cristã de 14 anos seja obrigada a casar-se com o seu raptor



O Supremo Tribunal de Lahore, no Paquistão, ordenou que Maria Shahbaz, uma menina cristã de 14 anos, fosse devolvida a um homem muçulmano que a sequestrou e a obrigou a casar-se com ele.


Na passada terça-feira, 4 de Agosto, o juiz Raja Muhammad Shahid Abbasi revogou a decisão da semana passada da autoridade judicial do distrito de Faisalabad, que ordenava que Maira Shahbaz fosse retirada da casa de Mohamad Nakash e colocada num abrigo para mulheres e meninas, aguardando novas investigações.


Nakash alegou ter-se casado com Maira mas, apesar das evidências invalidarem a certidão de casamento e demonstrarem que ela é menor de idade, o Supremo Tribunal de Lahore decidiu a seu favor, afirmando que a adolescente se converteu ao Islão.


Testemunhas afirmaram que Maira estava em lágrimas no tribunal na passada terça-feira e depois disso a sua mãe, Nighat, claramente angustiada, se recusou a falar com a AIS, que tem acompanhado o caso de perto.


A amiga da família e activista Lala Robin Daniel disse: “Com esta decisão, nenhuma menina cristã no Paquistão está segura.” O advogado Khalil Tahir Sandhu, que representou Maira no tribunal, disse à ACN: “É inacreditável. Aquilo a que assistimos ontem é um julgamento islâmico. Os argumentos que apresentámos eram muito fortes e convincentes."


No tribunal, Tahir Sandhu detalhou 11 argumentos em apoio ao seu cliente, o principal dos quais envolve uma certidão de nascimento oficial demonstrando que Maira tinha apenas 13 anos em Outubro passado, mês do suposto casamento com Nakash. Tahir Sandhu também argumentou que a certidão de casamento foi falsificada, citando evidências que denunciam o documento fornecido pelo clérigo muçulmano cujo nome aparece no documento.


O advogado também citou uma lei estadual do Paquistão para demonstrar que, como Maira é menor de idade, só pode mudar de religião com a permissão da mãe.


Tahir Sadhu afirmou: “Fiquei tão aborrecido com o desenrolar do processo que temi ser convidado a deixar a sala do tribunal”. O advogado disse que apelará da decisão, primeiro no Supremo Tribunal de Lahore e, se isso falhar, no Supremo Tribunal do Paquistão.


A idade legal para o casamento no Paquistão é de 16 anos, mas isso nem sempre é aplicado pelos tribunais do Paquistão, de acordo com Suneel Malik, uma ativista dos direitos humanos no país.


“Os juízes continuam a declarar que os casamentos de menores são válidos, sob o pretexto da puberdade, segundo uma interpretação islâmica da lei”, disse Malik à organização International Christian Concern (ICC).


De acordo com um estudo de 2014 do Movimento pela Solidariedade e Paz no Paquistão , cerca de 1.000 mulheres e meninas da comunidade hindu e cristã do Paquistão são sequestradas, casadas à força com o seu raptor e convertidas à força ao islamismo todos os anos. 


“A ordem não tem precedentes e significa que provavelmente Maria nunca mais voltará para sua família”, disse ao ICC Shazia George, outra ativista dos direitos humanos do Paquistão. “A decisão de fazer uma noiva criança ficar com o seu raptor irá adicionar mais sofrimento ao caso”.


Motivos de Oração:
  • Ore por Maira, para que toda essa situação não a impeça de crer que Deus está com ela.

  • Ore pela mãe de Maira e toda a sua família, para que Deus fortaleça-os em Cristo.

  • Ore para que as autoridades Paquistanesas reconheçam o erro e libertem Maira deste casamento forçado.


Fonte: VDM, AIS, ICC

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.