• A Voz dos Mártires

Trinta cristãos presos num casamento na Eritreia


As autoridades da Eritreia continuam a sua repressão aos grupos religiosos não registados, quando 30 convidados foram presos em uma cerimónia de casamento no final de junho.


Esses cristãos foram presos na capital do país, Asmara, e junta-se a outros 15 que já haviam sido presos em abril e enviados para um campo de prisioneiros.


O governo da Eritreia é conhecido como um dos mais opressores do mundo, notório pelas suas prisões arbitrárias e detenções de pessoas - sem julgamento. Só no ano passado, entre maio e agosto, mais de 330 cristãos foram presos.


Desde que as restrições religiosas foram instituídas em 2002, apenas quatro grupos religiosos são legalmente permitidos pelo governo: ortodoxos eritreus, católicos romanos, luteranos e islâmicos sunitas. A participação de qualquer outro grupo é estritamente proibida, e até mesmo os grupos religiosos legalmente reconhecidos não estão imunes ao assédio e perseguição.


Os cristãos presos na Eritreia nunca são formalmente acusados, e não lhes é permitido o aconselhamento jurídico nem as visitas de familiares.  Eles são enviados para as prisões mais duras e recebem o tratamento mais cruel. Os cristãos são pressionados a se retratarem.

A Voz dos Mártires apoia várias famílias dos prisioneiros cristãos.


Mais sobre a Eritreia:

Eritreia: Uma Família a Espera de um Milagre

Twen Theodros - Cristã presa na Eritreia pede orações


Motivos de Oração:
  • Lembre-se das centenas de crentes atualmente presos na Eritreia; alguns deles já tendo sofrido por muitos anos de tratamento desumano em condições terríveis.

  • Ore para que esses prisioneiros e as suas famílias recebam força interior enquanto passam por provações tão severas.

  • Ore para que as autoridades venham a respeitar os direitos de todos os cidadãos, incluindo a liberdade de culto.


Fonte: Release Eritrea, Barnabas Fund

Foto: Ilustração(IMB)

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.