A situação piorou muito para os cristãos durante o confinamento, muitos não tem o que comer

A opressão e a discriminação contra os cristãos aumentaram durante a Pandemia da Covid-19 e a Voz dos Mártires Internacional lançou um apelo para os cristãos do mundo livre para ajudar os cristãos que sofrem durante a pandemia. Muitos cristãos não receberam alimentos nem ajuda humanitária por causa da sua fé e muitos foram excluídos dos sistemas de apoio do governo do seu país durante o bloqueio. Ao mesmo tempo, vários países intensificaram a perseguição contra os cristãos. Um dos piores criminosos é a China, onde cristãos foram presos por realizar reuniões de oração on-line. 'A situação piorou muito para muitos cristãos durante o confinamento', disse o CEO da Voz dos Mártires do Reino Unido, Paul Robinson. 'A COVID-19 está a causar um impacto devastador na vida de muitos cristãos pobres. Em países hostis à fé, os cristãos estão a passar por dificuldades crescentes. 'A comida agora é escassa. Eles não podem trabalhar e não podem ganhar, e o apoio está a ser negado por causa da sua fé. Os seus gritos de ajuda estão sendo ignorados por instituições de caridade locais que distribuem pacotes de alimentos apenas para as famílias das religiões estatais do país. Não nos podemos dar ao luxo de demorar. Esses cristãos precisam da nossa ajuda agora.' Na Argélia , muitos cristãos estão a sofrer com o bloqueio. Não há segurança social no país nem apoio governamental. Os parceiros da Voz dos Mártires dizem: 'Muitas famílias cristãs tiveram que parar de trabalhar por causa do bloqueio e perderam a sua renda. Eles foram rejeitados pela sociedade e pelas suas famílias como resultado da sua fé. A demanda é enorme.' Nas palavras de um cristão perseguido do Afeganistão: 'A Covid-19 é apenas mais uma dificuldade para enfrentar...' Para os eritreus que fugiam da perseguição, o confinamento impediu-os de entrar nos campos de refugiados e eles não podiam obter apoio do ACNUR. Entre os que estão a passar por essa situação estão cristãos que estiveram mais de 10 anos presos por causa da sua fé e que sofreram traumas na prisão. Parceiros da Voz dos Mártires dizem que alguns desses refugiados cristãos agora enfrentam a discriminação contínua nos campos de refugiados por causa da sua fé. Muitos foram rejeitados pelas suas famílias por se converterem ao Cristianismo, então não recebem apoio. No Paquistão, onde muitos cristãos vivem na pobreza, a situação é especialmente difícil para os convertidos de origem muçulmana. A única forma de apoio à família é através da segurança social. E também aqui as famílias muçulmanas muitas vezes retiram o apoio a membros da família que mudam de religião. Parceiros da Voz dos Mártires dizem: 'Estes irmãos foram rejeitados pela sociedade e pela suas famílias como resultado da sua fé.' O bloqueio significa que muitos cristãos mais pobres não têm mais dinheiro suficiente para comprar comida ou para pagar a renda, muito menos máscaras ou desinfectantes para as mãos. 'O governo não pode apoiar os cristãos nas aldeias, favelas ou olarias.' Em vários países, o bloqueio levou a um aumento da perseguição. No Alto Egipto , onde os cristãos são pressionados e discriminados por causa da sua fé, algumas organizações estão supostamente recusando fornecer comida e apoio às famílias cristãs. 'As autoridades estão a ajudar os muçulmanos, mas não os cristãos. E as igrejas que tentam ajudar estão a ser fechadas por ordem da polícia.' diz parceiro da Voz dos Mártires no país. Na China , os parceiros da Voz dos Mártires dizem que o governo está a usar a pandemia como desculpa para intensificar a repressão aos cristãos. “Eles aceleraram as campanhas, como a de demolição forçada de cruzes até mesmo as das igrejas sancionadas pelo governo. 'Pastores foram perseguidos por compartilhar o Evangelho e distribuir máscaras faciais nas ruas.' As autoridades 'proibiram totalmente' os serviços religiosos online e as reuniões de oração: 'nada que constitua um serviço religioso é permitido.' Um cristão de Shandong que pediu nove dias de oração e jejum pelas vítimas do vírus foi preso após sete dias, acusado de organizar um serviço ilegal de oração online. Na Nigéria, o confinamento aprofundou a insegurança de muitos aldeões cristãos, que enfrentam ataques da milícia Fulani. 'Os militantes usaram a pandemia como uma oportunidade para aumentar os ataques a cristãos e outros não-muçulmanos.' diz parceiro da Voz dos Mártires. Paul Robinson, CEO da Voz dos Mártires UK disse: 'Os nossos parceiros verificaram muitos casos de perseguição e discriminação relacionadas à Covid-19. E para cada exemplo que conhecemos, haverá muitos, muitos mais que não sabemos.' 'Para muitos cristãos, a Covid tornou as coisas mais difíceis. Muitos foram rejeitados pelas suas famílias por causa da sua fé. No momento, cabe a nós, a sua família cristã, oferecer o apoio a eles. ' Os parceiros da Voz dos Mártires estão fornecendo cabazes de alimentos para os cristãos mais pobres na Argélia, Etiópia, Egipto, Nigéria, Paquistão e Turquia, que foram impedidos de receber apoio de ONGs e do governo por causa da sua fé. E por meio da sua rede internacional de missões, a Voz dos Mártires está activa em mais de 25 países ao redor do mundo, apoiando pastores, prisioneiros cristãos e suas famílias; fornecendo literatura, Bíblias cristãs e apoio jurídico. Esta é uma oportunidade de mostrar aos nossos irmãos perseguidos que somos uma família em Cristo - por favor, considere apoiar os nossos irmãos através do seu donativo, para que possamos chegar a mais famílias cristãs em necessidades. SIM, EU QUERO AJUDAR! Obrigado por ajudar as famílias cristãs a sobreviverem e por encorajá-los na sua fé, suprindo as suas necessidades.

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.