Contrabandistas de Bíblias Presos da China

Em maio, vários homens se dividiram em três pequenos grupos para atravessarem a China com sacos cheios de Bíblias. O último grupo e um membro do segundo, foram detidos por funcionários da alfândega em Shenzhen, uma das maiores cidades da China, enquanto se dirigiam para Guangzhou. Os homens foram detidos por 10 horas e, depois de serem interrogados por 50 funcionários, foram banidos do país por três anos. Além deles, havia outro contrabandista de Bíblia, que não estava ligado a sua organização, mas que estava a atravessar a China ao mesmo tempo, foram interrogados por seis horas. Os oficiais confiscaram as Bíblias e outros materiais cristãos de todos. Estes livros estão proibidos na China", disse um funcionário, a apontar para as Bíblias. "Eles são publicados no exterior". Desde a sua abertura em 1987, a única editora aprovada pelo governo da China para a impressão de Bíblias, Amity Printing Company, imprimiu mais de 115 milhões de Bíblias. No entanto, a maioria dessas Bíblias é para exportação. As poucas cópias que permanecem no país são vendidos pelas igrejas oficiais do Movimento das Três Autonomias. A Amity por si só não consegue satisfazer a demanda dos cidadãos chineses pela Bíblia, à medida que as Bíblias se desgastam e novos crentes se convertem. Durante a detenção dos homens, a maioria dos 50 oficiais examinaram os materiais e folhearam as Bíblias. Pelo menos dois oficiais permaneceram o tempo todo com cada trabalhador e monitorizaram cada movimento - mesmo quando iam a casa de banho. Os contrabandistas tiveram que assinar um documento a admitir que infringiram as leis sobre o contrabando da Bíblia e cada um teve que pagar uma multa. Eles foram então transportados em veículos policiais para o escritório da polícia do distrito, onde foram mantidos por mais quatro horas enquanto os funcionários processavam os seus passaportes. Uma vez terminados, eles foram obrigados a assinar papéis de deportação e foram informados de que não podem voltar a China pelo período de três anos. Oficiais de polícia armados e agentes secretos levaram todos até a fronteira e garantiram que eles entravam num auto-carro de volta a Hong Kong. Um contrabandista disse que só sentia amor e perdão pelos funcionários envolvidos durante a provação. "Eu me senti mal por eles, porque eles não perceberam que estavam a excluir a única coisa que traria boas notícias, esperança e a verdade para o seu país", disse o homem. "O amor que experimentei por esses oficiais foi o mesmo amor que enviou Jesus à cruz e o mesmo amor que o fez gritar: Pai, perdoa-os; Pois eles não sabem o que fazem ". Motivos de Oração: Ore pela China. Para que a Palavra de Deus seja permitida nesse país. Ore pelos contrabandistas de Bíblias, para que Deus dê-lhes ousadia e protecção para o seu trabalho que é tão necessário para os cristãos perseguidos. Ore pelos cristãos que vivem na china e que não possuem uma Bíblia, para que Deus fortaleça a fé deles. Fonte: A Voz dos Mártires Internacional

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.