Estudantes Cristãos na Eritreia punidos por causa da sua Fé

LOS ANGELES (Reuters) - As autoridades da Eritreia estão a punir 39 estudantes do ensino médio por causa da sua fé cristã, excluindo-os de uma cerimónia de formatura e submetendo-os a espancamentos e trabalhos forçados, segundo a organização de apoio cristã Open Doors. Depois de completar um treinamento militar de quatro meses obrigatório na Eritreia, os estudantes, incluindo 11 meninas, foram presos por suas “crenças cristãs e por seu compromisso com Cristo”, disseram fontes da Open Doors. "Os jovens enfrentam agora, espancamentos, trabalhos forçados e comida e água insuficientes" no centro de formação militar da SAWA, informou a organização num comunicado à imprensa. "As fontes disseram que as autoridades também ameaçam os estudantes com uma longa prisão e exclusão da universidade, caso eles ‘ não renunciem a Cristo’ ". Depois de completar a escola, todos os Eritreus são obrigados a fazer a tropa. Os 39 alunos foram selecionados para a tropa dum grupo de 17.000 que se formaram a 13 de julho, de acordo com a organização. Desde 2002, os cultos fora das religiões autorizadas pelo governo, (muçulmanos sunitas, Igreja Ortodoxa Eritreia (IOE), da Igreja Católica Romana e Evangélica Luterana da Eritreia) foram proibidos. Em 2005, as autoridades também começaram a perseguir o IOE, particularmente o movimento de renovação da igreja. O governo começou uma repressão generalizada contra Cristãos fora das igrejas aprovadas pelo estado no início deste ano, detendo-os em condições adversas. Os cristãos representam 47 por cento da população da Eritreia, de 5,2 milhões, e os muçulmanos, 50 por cento, segundo a ‘Operation World’. O arquitecto de ideias marxistas e de repressão à religião e à liberdade de expressão na Eritreia, o presidente Isaias Afewerki, está no poder desde a libertação da Eritreia da Etiópia em 1991; foi eleito presidente pela Assembleia Nacional em 1993. "Em 2001, após uma guerra fronteiriça de dois anos com a Etiópia (1998-2000), Afewerki começou a reprimir seriamente qualquer coisa que pudesse ser vista como uma ameaça à unidade nacional", escreveu Elizabeth Kendal no Boletim de Oração da Liberdade Religiosa a 13 de novembro de 2012. “Ele anulou as eleições e fechou toda a comunicação social independente. Figuras de oposição - políticos, ativistas e jornalistas - foram removidas, principalmente para 'prisões secretas' subterrâneas para os 'desaparecidos' ”. Estima-se que 3.000 cristãos, na sua maioria protestantes, foram encarcerados por sua fé até finais de 2010; esse número caiu para cerca de 1.500 em novembro de 2012, de acordo com Kendal, e a Open Doors estima-se que o número seja agora de 1.200. Os prisioneiros são mantidos em contentores em acampamentos no deserto, e alguns são mantidos em celas subterrâneas, observou Kendal. “As condições são desumanas: crianças e idosos estão entre os prisioneiros que apresentam doenças de pele, disenteria e outros horrores estando em espaços confinados e sem ventilação”, relatou Kendal. “Tortura é rotina. . . vários cristãos morreram sob custódia e outros pereceram no deserto ao tentar escapar ”. Motivos de Oração: Ore pelos cristãos da Eritreia, para que a perseguição não os impeçam de testemunhar o amor de Cristo para os seus conterrâneos. Ore pelo governo da Eritreia, para que sejam tocados pelo poder de Deus e sejam justos nas suas leis. Ore pelos 39 estudantes que estão a ser perseguidos por causa da sua fé, para que permaneçam firmes em Cristo. Fonte: Morning Star News Foto: Ilustração

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.