Sobrevivente de um atentado à Igreja no Sri Lanka segue louvando Cristo

No domingo de Páscoa de 2019, terroristas islâmicos atacaram 3 igrejas e 3 hotéis de luxo no Sri Lanka, um país insular no sul da Ásia, localizado no Oceano Índico. Naquela manhã, uma jovem chamada Rebekah, que tinha passado dias a praticar uma canção que sonhava cantar na Igreja Zion, na cidade de Batticaloa, estava na livraria do ministério, quando um terrorista detonou uma bomba, matando 30 pessoas e ferindo centenas de outras. Rebekah estava entre os feridos da forma mais traumática. O que aconteceu, no entanto, é uma história de recuperação, resiliência e inspiração sobre o que Deus está a fazer através da Igreja perseguida em todo o mundo. "Os domingos costumam ser muito especiais para nós. O Domingo de Páscoa foi ainda mais especial porque eu e a minha irmã fomos cantar uma canção especial nesse dia", disse Rebekah ao Open Doors (EUA) num relatório publicado a 12 de fevereiro de 2021. Rebekah recordou: "Quando a explosão aconteceu, não sabia que era uma explosão de bomba. Pensei que o meu telemóvel tinha explodido." "Tudo o que conseguia ver era fogo... Apesar do meu ‘sarai’ ter pegado fogo, não me dei conta do facto de estar a arder", contou. "Eu sabia que ia morrer e ir para o Céu. O meu único objetivo era estar com Jesus." O sobrinho de Rebekah foi morto; e sua sobrinha ficou cega na explosão. Queimaduras de terceiro grau cobrem completamente o lado esquerdo do corpo de Rebekah e partes do lado direito. A história de Rebekah lembra-nos que temos muito a aprender com a nossa família perseguida. "Na Igreja, porque estávamos sempre juntos, éramos como irmãos e irmãs. Muitas pessoas foram preparadas para estar com Jesus, são firmes na sua fé", disse. Como Rebekah foi capaz de enfrentar o terrível incidente e ainda se agarrar a Jesus até hoje? Ela disse: "Acima de tudo, é a graça de Jesus Cristo. Segundo, o nosso pastor tinha nos ensinado sobre este caminho. "Muitas pessoas disseram que eu podia não voltar a andar, e que talvez precisassem de amputar o meu braço. Mas quando perceberam que eu era firme na minha fé, eles também começaram a ter esperança", contou. "Estive no hospital durante 60 dias. Disseram-me que só poderia manter os pés no chão depois de 80 dias. Mas disse aos médicos que ia tentar andar, não precisava me segurar. Pensei: "Segurando a mão de Jesus, poderei andar." Comecei a andar em 45 dias", continuou. "Não aceitei nada de forma negativa", partilhou. "Comecei a pensar, posso fazer todas as coisas através de Cristo que me dá força. Então pensei para mim mesmo, eu posso. Hoje, quase dois anos depois, Rebekah continua a cantar e a perseverar na sua fé. "Enfrentei muitas coisas por Cristo. Mesmo que algo assim volte a acontecer, estamos preparados para enfrentá-lo", disse. "Ser capaz de sofrer por Cristo é uma coisa preciosa, ele sofreu por nós. Pelo sangue que Jesus derramou por nós, fez de nós um tesouro inestimável para nos preparar para coisas como esta", disse. "Preciso aproximar-me de Jesus", disse ela, "por isso, ora por mim." Menos de 8% dos cerca de 20 milhões de pessoas no Sri Lanka são cristãos. Setenta por cento são budistas, de acordo com o censo de 2012 do país,12,6 por cento são hindus e 9,7 por cento são muçulmanos. Motivos de Oração: Ore por Rebekah, para que a sua fé permaneça inabalável. Ore para que o seu testemunho continue a alcançar muitas outras vidas para Cristo. Ore pela Igreja no Sri Lanka, para que Deus proteja os nossos irmãos de qualquer atendado e perseguição. Fonte: VDM, Ug Christian News

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.