Uganda: Cristãos são Atacados por Distribuir Alimentos aos Pobres

Na aldeia de Nalidi, distrito de Pallisa na região leste de Uganda, a população é predominantemente muçulmana. Recentemente, 27 cristãos que trabalham num projecto de produção de alimentos foram atacados por jihadistas armados. Enquanto faziam a colheita do arroz, 16 cristãos foram surpreendidos por radicais islâmicos. Eles invocavam a jihad - guerra santa - e gritaram em árabe: "Estamos lutando pela causa de Deus", disse o sobrevivente John Supete. A maioria dos feridos ainda estão a recuperar-se no centro de saúde Butebo, para onde foram levados. "Os muçulmanos nos atacaram usando facões, paus e barras de ferro. Vários de nós ficaram feridos", disse Kirya Mbulambago, outro sobrevivente, acrescentando que a maioria das vítimas tinham ferimentos graves. Um ímã (líder muçulmano) identificado apenas como Akiimu, levou o grupo ao ataque, disseram as fontes. A maioria dos cristãos sofreram cortes profundos na cabeça, rosto e mãos, e lesões nas costas. Onze cristãos que não tiveram ferimentos graves continuam a trabalhar num esforço conjunto com as igrejas de três denominações diferentes. Este é um projecto essencialmente missionário. Parte da produção é vendida para ajudar a pagar os materiais escolares de famílias carentes. Além disso, os membros da comunidade, independentemente da sua religião recebem doações. Através deste projecto de evangelização, 21 muçulmanos aceitaram a Jesus nos últimos seis meses, diz o Morning Star News. Isto irritou líderes muçulmanos que começaram a ameaçar os cristãos. Os líderes das mesquitas tinham avisado que aqueles que deixassem o Islão seriam tratados com severidade, como é ensinado pelo Corão, uma clara ameaça de morte. A perseguição se intensificou na região. Fonte: Morning Star News Motivos de Oração: Ore pela recuperação total dos nossos irmãos que continuam a serem tratados no centro de saúde da região. Ore para que haja uma maior segurança para os cristãos na Uganda. Ore para que essa perseguição não intimidem os novos convertidos, mas que eles permaneçam na firmes na fé em Cristo.

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.