© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

México - Atacante Fica Paralisado Quando Cristã Clama a Deus

 

 

Um jovem atacou Eugénia Montejo Gomez quando esta ia a caminho de uma reunião cristã, Eugénia e o seu marido são líderes de uma pequena comunidade cristã evangélica. Ela nem sequer reconheceu que era o homem que quase tinha matado-a nesta mesma aldeia rural, dois anos antes.

 

Um membro da igreja que veio até ela para avisar: "Este foi o homem que te cortou."

 

O Ataque

 

Em Fevereiro de 2014, Eugénia tinha visitado a comunidade para desfrutar de momentos de adoração e oração com os fiéis locais. A aldeia era tão remota que os veículos a motor não tinham acesso àquela região. Eugénia tinha sido deixada por um caminhão e andou o restante do caminho que era muitas vezes referido como um "fim da estrada".

 

Embora o seu marido estivesse em outro lugar a cuidar de uma das seis pequenas Igrejas domésticas que supervisionavam num estado mais ao sul do México, Chiapas, Eugénia não estava sozinha. O seu filho de 12 anos de idade tinha ido com ela para protegê-la. A família começou a tomar tais precauções depois que os rebeldes Zapatistas incendiaram a sua casa no ano anterior. Os Zapatistas controlam a região e vêem-se como defensores dos povos indígenas. Eles vêem os cristãos evangélicos com desprezo, porque são uma ameaça às tradições locais.

 

Eugénia lembra-se de estar muito feliz naquela noite, ela e o seu filho apanharam algumas flores e atravessaram um pomar no caminho de volta para a estrada.

De repente, um jovem saiu de um armazém com um facão na mão. Sem dizer uma palavra, ele bateu-lhe no ombro.

"Não doeu [no início]", disse Eugénia: "Eu não sei se foi do choque."


O Filho de Eugénia

 

Quando o atacante virou a arma contra o filho de Eugénia, ela gritou: "Deixe-o ir! Ele é apenas uma criança. Tirem de mim o que quiserem. "

O jovem atacou Eugénia novamente, desta vez apertando a sua bochecha, disse-lhe: "O que está a fazer aqui, a pregar? Você vai morrer. Não pode pregar. Aqui ninguém quer a Palavra de Deus."

 

"Eu não posso fazer isso, porque há pessoas que precisam da Palavra de Deus", disse ela.

 

Ele pulou sobre as suas costas e ela caiu, então ele começou a dar-lhe pontapés. Nesse momento, ela pensou que iria morrer, foi então que em voz alta, ela disse a Deus: "Senhor, se chegou o meu tempo, se o Senhor quiser eu posso ir. Mas só se for da Tua vontade. Em Tuas mãos, entrego o meu espírito".

Com essas palavras o facão parou. Era como se o seu atacante tivesse congelado.

Ela estava a sangrar de várias feridas profundas, então gritou para o filho, "Temos que fugir!" Então os dois correram para a estrada.

 

Após o Ataque

 

Enquanto Eugénia ainda se recuperava no hospital, as pessoas locais que a conheciam ficaram enfurecidas por saberem que alguém da sua comunidade a tinha atacado. Eles sabiam que ela era uma mulher carinhosa que ajudou várias famílias carentes através da distribuição de pacotes de cuidados, compostos por produtos secos, sabão, feijão e arroz, juntamente com Bíblias.


Eugénia no Hospital

 

O seu atacante de 15 anos de idade foi entregue à polícia. No entanto, foi libertado uma semana mais tarde, após a pressão das autoridades locais Zapatistas. Depois de se recuperar, Eugénia voltou à comunidade para continuar a ajudar a Igreja. 

 

Ela continua a confiar no Senhor para a sua protecção e diz: "Não tenho nenhum rancor do meu atacante."

Na verdade, após dois anos do ataque feito a Eugénia, o agressor parece estar interessado em ir à Igreja e regularmente ouve a pregação.

 

Apesar do ataque e de ter a sua casa queimada e mesmo sendo constantemente perseguida, Eugénia e o seu marido dizem que vão continuar a ir para esse FIM DE ESTRADA para compartilharem o Evangelho e ajudarem essas pessoas. "A mão de Deus está em nossas vidas", diz o seu marido.

 

Fonte: Missão A Voz dos Mártires

 

Motivos de Oração:

  • Ore por Eugénia e a sua família, para que Deus continue a fortalecê-los e ajudá-los a levar esperança e fé à sua comunidade na Chiapas.

  • Ore pelo jovem que atacou Eugénia, para que Deus converta o seu coração e faça dele um pregador da Palavra.

  • Ore pela região da Chiapas no México, onde ainda existe perseguição contra os cristão.

 

 

Please reload

Notícias mais Lidas

Missionária é assassinada na Indonésia

1/10
Please reload

Notícias Recentes
Please reload

Arquivo