© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

Quénia: "A Perseguição é uma Promessa, não um Castigo!"

 

Foi necessário um terrível ataque à sua igreja, para que Emily percebesse que o entendimento que tinha do Evangelho estava errado.

 

Ela estava ali há cerca de 3 anos, a apoiar o trabalho na Igreja "Alegria de Jesus"  em Likoni, que ficava perto de Mombasa, no Quénia. Ao longo dos meses, a igreja cresceu para 60 pessoas.

 

Na manhã de domingo do dia 23 de março de 2014, a maioria dos fiéis estavam sentados nos bancos enquanto o pastor assistente Philip Ambesta estava a pregar.

Emily estava na primeira fila. No meio da mensagem, houve um estrondo alto do lado de fora e todos se viraram para olhar, mas o pastor Philip disse: "Ignore o que está a acontecer do lado de fora dessas paredes e escute o que Deus tem a dizer para você", e continuou a pregar .

 

Momentos depois, dois homens armados entraram pela porta dos fundos. Um deles estava armado com uma metralhadora e começou a atirar de forma indiscriminada na congregação.

 

Do banco onde estava sentada, Emily viu o outro atirador apontar uma arma de mão para o altar e começar a disparar contra o pastor Philip, que morreu na hora.

 

Os homens fugiram, mas deixou para trás a marca de uma grande destruição. Todos estavam a gritar e havia sangue por toda parte. Emily chamou a ambulância, a polícia e apressou-se em ajudar os membros da igreja com os primeiros socorros. A ambulância não conseguiu levar todos os feridos, então Emily indicava aqueles que precisavam do socorro mais urgente.

 

Seis pessoas morreram naquele dia, incluindo o pastor Philip e outras 24 foram feridas.

 

A Voz dos Mártires Internacional está a ajudar alguns irmãos que foram gravemente feridos neste ataque. Durante os últimos dois anos nós temos fornecido todo o suporte médico necessário.

 

Emily não sofreu ferimentos físicos, mas ficou com profundas cicatrizes emocionais na sua alma. Ela lutou para entender por que Deus permitiu que a igreja fosse atacada. Acreditava que Deus estava a castigá-los por causa dos seus pecados. Emily retornou à igreja desanimada, mas continuou a ler a Palavra de Deus.

 

Quando ela leu que Jesus prometeu aos Seus seguidores que eles seriam perseguidos por Sua causa, ela entendeu que o pecado faz com que os homens cometam actos malignos, especialmente contra aqueles que seguem à Deus, mas isso não invalida as promessas que Deus nos fez de trabalhar para o nosso bem e nos abençoar. Essas promessas não significam o bem financeiro, mas sim o bem espiritual. A perseguição é uma promessa, não um castigo!

 

Hoje, Emily descreve o Evangelho como um "Evangelho Amargo". Ela disse: "Eu ensino o Evangelho Amargo da Cruz e do Sangue. Você tem que aceitar carregar a cruz."

 

Dory P., trabalhador da VdM, passou recentemente uma semana no Quénia, encontrando-se com os crentes que a VdM apoia. Enquanto muitas pessoas vêem o Quénia como safaris e viagens missionárias, no nordeste e ao longo da costa, os cristãos enfrentam perseguição severa por islamistas afiliados ao al Shabaab.

 

Fonte: A Voz dos Mártires Internacional

 

Motivos de Oração:

  • Ore pela Igreja no Quénia, para que o Evangelho alcance os corações.

  • Ore pela irmã Emily e pela igreja em Likoni, para que Deus possa fortalecer a fé dos cristão e que este ataque não intimidem os cristão de servirem a Deus.

  • Ore para que Deus possa confortar a família do Pr. Philip e de todos aqueles que perderam alguém neste ataque. Ore também pelos irmãos que se recuperam física e emocionalmente.

Please reload

Notícias mais Lidas

Missionária é assassinada na Indonésia

1/10
Please reload

Notícias Recentes
Please reload

Arquivo