© 2017 A Voz dos Mártires. Todos os direitos reservados.

Ao assinar a nossa lista de contatos está a concordar com a nossa Política de Privacidade

Mais de 140 cristãos são presos na Eritreia, entre eles 14 crianças

 

A Eritreia prendeu mais de 140 Cristãos que se reuniam em privado em Mai Temenai na capital Asmara. As autoridades invadiram o local. Catorze crianças estão entre os 141 detidos.

 

Contactos da Missão a Voz do Mártires em Inglaterra (VdM UK), que ajuda os Cristãos perseguidos por todo mundo, diz que as ruas estão cheios de policia, e policia secreta que tentam evitar protestos.

 

Alguns dos detidos na última  ação policial acredita-se que estejam na prisão Adi Abeito, perto do local da detenção, enquanto outros ainda estão na esquadra.

 

Demonstrações de ativistas pro-democracia no vizinho Sudão resultaram na destituição do ditador no poder, Omar al-Bashir.

 

Além de realizarem as detenções, as autoridades na Eritreia fecharam a comunicação social.

 

Ditadura

A Eritreia é uma ditadura unipartidária, que tem sido governada pelo presidente Isaias Afwerki desde 1993. A nação esteve em situação de guerra com a vizinha Etiópia durante 30 anos.

 

Embora os dois países tivessem assinado um acordo de paz, em Julho do ano passado, a ideia de que a aproximação com a Etiópia trouxesse dividendos de paz é infundada. Um em cada cinco Eritreus é convocado para integrar o serviço militar por tempo indefinido. E também  não tem havido nenhum melhoramento na liberdade religiosa, ou condições dos direitos humanos, de acordo com o último relatório da Comissão dos Estados Unidos em Liberdade Religiosa Internacional.

 

O país foi descrito como a Coreia do Norte em África. É um dos mais pobres do continente.

 

Aproximadamente 1.5 milhões de Eritreus fugiram do país. Esta crescente Diáspora está a tornar-se cada vez mais vocal nas suas exigências de liberdade religiosa e de direitos humanos.

 

Controle de Religião

A Eritreia está igualmente dividida entre Cristãos e Muçulmanos, mas o controle da religião é muito apertado. Em 2002 a Eritreia baniu muitas denominações Cristãs, e fechou igrejas Evangélicas e Pentecostais.

 

Os Cristãos que cultuam em igrejas não registadas são considerados inimigos do estado. Qualquer crente, nas forças armadas que for apanhado a praticar a sua fé, enfrenta a prisão.

 

Muitos Cristãos são presos indefinidamente sem provas e sem julgamento. Alguns são mantidos em contentores, onde são expostos ao calor abrasador do deserto de dia e ao frio da noite. Alguns são espancados e torturados para os obrigar a renunciar a sua fé.

 

Tortura

Dawit, um refugiado Eritreu, descreveu à Voz dos Mártires como foi torturado.; “Eu fui preso por causa da minha fé Cristã.  Todas as noites eu tinha que dormir no chão com as minhas mãos e pés atados juntos e bem apertados, chamavam-lhe o Numero 8.”

 

Ele disse que as suas pernas eram puxadas para trás das costas e atados aos punhos. “Devido a isso eu ainda tenho dores nas costas.”

 

Às vezes os presos são atados e pendurados nas árvores. Uma das formas de pendurar as pessoas é conhecida como Jesus Cristo, porque parece uma cruz.


A recente revisão da perseguição do Bispo de Truro declarou “a tortura de Cristãos  está espalhada na prisões na Eritreia.” E um Comissário dos direitos humanos das Nações Unidas verificou que os ataques a protestantes e pentecostais era “parte duma politica diligentemente planeada do governo.”

 

As estimativas variam no número de Cristãos que estão presos na Eritreia. As autoridades não emitem relatórios. Acredita-se que a maioria são Evangélicos ou Pentecostais. Muitos já estão presos há mais de uma década . As autoridades prisionais proíbem a oração em voz alta, cantar, pregar ou leitura de livros religiosos.

 

Chamado para liberdade

Um dos membros da Voz dos Mártires do Reino Unido, o Dr. Berhane Asmelash foi ele, também torturado na Eritreia. Ele diz que os Cristãos dentro do país estão a ficar mais ousados ao mesmo tempo que a Diáspora  tem um papel mais forte em lutar por maior liberdade religiosa.

 

O Dr. Berhane diz: “As pessoas viviam com medo, mas desde Julho de 2018, o povo disperso (Diáspora) levantou a sua voz. Eles deram um basta, e pessoas dentro da Eritreia estão a comunicarem-se com eles.

 

“As coisas têm que mudar na Eritreia, “diz Paul Robinson, presidente da Voz do Mártires em Inglaterra. “O país já não está em guerra, mas ainda se porta como se estivesse - e o inimigo é o próprio povo.”

 

A Voz dos Mártires Internacional, tem desde há muito vindo a fazer campanhas para que a Eritreia liberte os seus presos da fé e autorizar a liberdade de culto e adoração. Continuem a orar para que haja uma mudança radical no coração do Presidente Isaias Afwerki e do seu governo, junto com o aumento de pressões internacionais para reformas.

 

“É hora de acabar com a repressão e que a liberdade prevaleça.”

 

A Voz dos Mártires ajuda os prisioneiros Cristãos e as suas famílias na Eritreia - muitos foram privados do seu sustento durante anos. A VdM está a prover ajuda financeira e espiritual aos refugiados Eritreus que foram obrigados a fugir, e está a ajudar os ex-prisioneiros a voltar ao trabalho.

 

Através da sua rede internacional de missões a Voz dos Mártires está activa em 30 países no mundo, a apoiar pastores, prisioneiros Cristãos e suas famílias; a fornecer literatura Cristã e Bíblias, e a lutar por justiça.

 

Para Saber mais sobre a Eritreia clique aqui.

 

 

Please reload

Notícias mais Lidas

Missionária é assassinada na Indonésia

1/10
Please reload

Notícias Recentes
Please reload

Arquivo